Erdogan chama jornalistas assassinados de abusadores de crianças, ladrões e terroristas

A frenesim anti-media do presidente turco Recep Tayyip Erdogan atingiu um novo nível, ignorando as críticas internacionais sobre a repressão à liberdade de imprensa e o encarceramento de membros da imprensa, chamando os jornalistas encarcerados de “ladrões, abusadores de crianças e terroristas”.

O presidente Erdogan, falando numa reunião com membros da Associação de Editores Anadolu no Palácio Presidencial na quarta-feira, desencadeou uma nova tempestade contra aqueles que são críticos da sua forte luta com os media. Ele reservou a maioria das acusações para a União Europeia e grupos de direitos internacionais que promovem a liberdade de imprensa e monitoram a repressão contra jornalistas.

O tema recorrente na sua última torrente de fogo e enxofre, foi o estado dos jornalistas presos na Turquia. O presidente agarrou-se firmemente à convicção de que não havia nenhum jornalista preso pela simples execução das funções de um jornalista.

“Quando pedimos a lista dos jornalistas [que foram presos], nós olhamos para os nomes … Entre eles, há assassinos e ladrões, abusadores de crianças e defraudadores. Só jornalistas é que não existem nessa lista “, disse Erdogan.

“Recebemos recentemente uma nova lista na qual havia 149 [nomes de] presos. Quando os nossos amigos verificaram a lista, 144 deles estão presos por crimes de terrorismo e 4 por crimes menores”.

O presidente turco até afirmou que um dos jornalistas foi preso por trazer um dispositivo de bomba do norte do Iraque. Outro jornalista foi preso depois de “ter lançado um ataque armado contra um veículo da polícia, matando 2 policias e ferindo 3”.

Em resposta às críticas do Ocidente, ele repetiu a longa narrativa de Ankara que retrata os jornalistas como perigosos terroristas.

“Nós nunca fazemos concessões àqueles que agem como militantes de organizações terroristas e agentes para agências de inteligência estrangeiras sob capa de membros da media”, disse o presidente Erdogan.

O alvo da sua fúria foi a Alemanha. Ancara e Berlim enfrentaram-se numa controvérsia sobre a detenção do jornalista turco-alemão Deniz Yucel, que o presidente Erdogan descreve como terrorista e agente estrangeiro que trabalha pelos interesses alemães na Turquia.

As acusações altamente políticas causaram uma disputa com a Alemanha, sem sinais de diminuir devido às acusações diárias do presidente Erdogan contra o seu aliado da NATO.

O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), com sede em Nova Iorque, descreve a Turquia como uma prisão aberta para os jornalistas, bem como outras organizações internacionais respeitadas, chamando a Turquia de um lugar perigoso para jornalistas.

A Plataforma para o Jornalismo Independente (P24), com sede em Istambul, diz que 155 jornalistas e trabalhadores dos media morreram nas prisões por exercer jornalismo.

Após o discurso acusatório do presidente Erdogan contra os jornalistas encarcerados na Turquia, a esposa de um colunista conhecido descarregou a sua consternação em meios de comunicação social por conta de tal representação dos detidos.

“Depois das acusações de Erdogan sobre os jornalistas na prisão, o nosso filho Erdem começou a chorar. Estou à espera de uma resposta. O que é que isto significa?”, escreveu a esposa do colunista Kadir Gursel ,que está preso, Nazire Kalkan Gursel no Twitter, dirigindo-se ao presidente numa manifestação de desapontamento e raiva pela representação dos jornalistas presos em termos tão diabólicos.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: