Professor turco detido pela polícia georgiana a pedido da Turquia

Mustafa Emre Çabuk, professor turco com uma autorização de residência georgiana válida, foi detido por autoridades georgianas em 24 de maio, a pedido do governo turco, de acordo com a esposa Tuba Çabuk.

Emre Çabuk é o diretor de uma escola estabelecida pelo grupo Gülen, acusado pelo governo turco de realizar uma tentativa de golpe em 15 de julho de 2016. O movimento nega qualquer envolvimento.

Equipas da polícia chegaram à casa da família Çabuk e detiveram o marido, apesar de não ter antecedentes criminais na Geórgia, disse a esposa de Çabuk num vídeo que partilhou no Twitter na noite de quarta-feira.

 

“Hoje às 9 da manhã
A polícia georgiana chegou à nossa casa e
disseram que iriam deter o meu marido.
Eles afirmaram que o meu marido não tinha problemas na Geórgia e que essa demanda veio da Turquia.
O meu marido foi detido sem motivo.
Ele é diabético.
Estou preocupada com que ele possa ser enviado para a Turquia onde a tortura e os maus-tratos levaram à morte de muitas pessoas. Apelo ao Governo da Geórgia, às cidades europeias e às associações de direitos humanos p
ara tomar medidas [para evitar que isso aconteça] “, disse a esposa no vídeo.

Embora a razão da alegada detenção ainda não tenha sido conhecida, dicas anteriores apresentadas à Turkey Purge, bem como uma série de outros artigos da imprensa relataram vários incidentes misteriosos de sequestros e detenções envolvendo apoiantes do movimento Gülen ou outros de grupos críticos do governo turco.

A Turquia sobreviveu a uma tentativa de golpe militar em 15 de Julho, que matou mais de 240 pessoas e feriu mais de mil pessoas. Após o golpe, o governo junto com o presidente Recep Tayyip Erdoğan acusou o movimento Gülen de planeamento da tentativa.

Embora o grupo tenha negado qualquer envolvimento, o governo turco lançou uma purga generalizada destinada a limpar simpatizantes do movimento dentro das instituições do Estado, desumanizando as suas figuras populares e colocando-as na prisão .
Mais de 120.000 pessoas foram expurgadas dos órgãos do Estado, mais de 80.000 detidas e cerca de 40.000 foram presas desde a tentativa de golpe. Jornalistas, juízes, procuradores, oficiais da polícia e do militar, académicos , governadores e até mesmo um comediante. Os críticos argumentam que as listas de simpatizantes de Gülen foram elaboradas antes da tentativa de golpe.

 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: